was successfully added to your cart.

Cart

Cultural

A primeira injeção – Pintura

By February 22, 2021 No Comments

“Abstract” da Netflix é uma das séries que ando a acompanhar neste momento. A série fala sobre diversos profissionais ligados ao mundo da arte e design, das suas profissões e processo criativo. Desde o início deste ano tenho dedicado muito tempo aprender sobre novas temáticas, mas arte sempre foi um tema com o qual tive uma ligação. “Abstract” tem me inspirado a procurar mais sobre diferentes tipos de arte, sobretudo online, e a tentar descobrir novos artistas.

A arte é de facto um tema abstrato. É algo subjetivo porque depende do seu observador. O objetivo e a intenção que o artista põe numa peça pode tentar ter alguma influência na perceção de quem a visualiza, no entanto, cada pessoa é única, e cada vivência é singular, o que transforma a arte em algo poderoso por si só. As diferentes realidades agregadas do observador e do artista conseguem moldar a arte e transmitir sentimentos, emoções (positivas ou negativas) ou até levar quem observa para outro universo. Uma pintura não provoca o mesmo tipo de sentimentos em todos os seus observadores e a subjetividade das sensações causadas pela arte é para mim o ponto chave do seu valor.

Particularmente, a pintura sempre foi uma das artes que mais me encantou. Pintura para mim é a arte do pincel, das cores, da técnica, da beleza, da abstração ou do realismo e de muito mais movimentos artísticos incríveis. Ir a um museu e olhar para telas é ser levado para diferentes gerações, épocas, realidades, e é uma experiência que não dispenso por nada. Cada viagem que faço inclui sempre uma panóplia de museus e cada um deles acrescenta sempre algo em mim. Durante o meu semestre de Erasmus, tive o prazer de visitar imensos museus nas inúmeras viagens que fiz pela Europa, desde a National Gallery de Londres, ao Leopold Museum em Viena, passando também pelo museu do Van Gogh em Amesterdão. No mesmo mês visitei por duas vezes o museu do René Magritte na Bélgica, que se tornou num dos meus pintores preferidos, a completar a lista que inclui Vincent Van Gogh, Henri Matisse, Theodor Von Hörmann, Claude Monet, Gustav Klimt e Paula Rego.
Depois de ver o documentário “Struggle: The Life and Lost art of Szukalski” da Netflix, não pude deixar de incluir Stanislaw Szukalski na lista de artistas e pintores que mais admiro.

Hoje em dia com a pandemia, viajar e visitar museus é uma atividade rara, porém há sempre maneira de contornar esta situação. O Google Art&Culture tem uma oferta muito rica de arte internacional e nacional. Lá podem ser encontrados uma vasta oferta de artistas, movimentos de arte e até visitas a coleções de arte de vários museus. Também é possível guardar os favoritos para mais tarde ver e possivelmente pesquisar e aprender mais sobre os pintores que mais gostamos.

No Google Art&Culture também é possível conhecer a arte Portuguesa e explorar um pouco da história da arte em Portugal: https://artsandculture.google.com/project/portugal-art-and-heritage. (Recomendo também a visualização do artigo 10 artistas Portugueses que tem de conhecer).

A WikiArt (https://www.wikiart.org/pt) é um site muito completo onde se pode encontrar uma ampla coleção de pintores e das suas obras de arte. É raro pesquisar por um pintor e não obter resultados.

Nas redes sociais fui descobrindo alguns artistas da nossa geração, um deles Kokooma (https://kokooma.tumblr.com). Os seus desenhos são lindos e transmitem a paz e a leveza que muitos andam à procura nestes momentos mais complicados de isolamento. Para além do Kokooma há muitos outros artistas que merecem uma menção como Analeovy, Nadine Reinhard e Son Eunkyoung.

Se estas pinturas vos inspiraram tanto como a mim e quiserem passar de observador para pintor, sugiro alguns canais de Youtube que ensinam a pintar e desenhar: o clássico Bob Ross e os seus tutoriais de pintura e o professor Yong Chen, que descobri quando decidi começar a aprender a desenhar.

Sendo que o nosso departamento cultural está cheio de pessoas com muita cultura, inclui neste artigo os pintores favoritos dos membros do departamento. Aproveitem para explorar a obra destes pintores e navegarem pelas suas telas. Um agradecimento ao Duarte, Filipa, Carla e Francisco pelo vosso contributo.

Espero que esta quarentena fique um pouco mais leve depois de viajarem por estas pinturas e de talvez arriscarem a aprender um novo hobbie como a pintura ou o desenho.

Obrigada por lerem e até breve.

Catarina Ferreira, Departamento Cultural

Leave a Reply